YES Blog da Escuta

terça-feira, 14 de janeiro de 2020





Obsessivo

Freud descobriu (escutando e tratando de seus pacientes) que existiam sintomas característicos nos pacientes acometidos de neurose obsessiva. 


Para citar alguns: pensamentos fixos que atravessam a consciência e importunam o sujeito , impedimentos, proibições, bloqueios que os impede de realizar seus desejos, medos, dúvidas e incertezas. 


Em seu historial ‘O Homem dos ratos’, enfatiza que a incerteza na vida, a dúvida aparece nesses pacientes como uma necessidade’. 


E que essa produção da incerteza aparece para afastar o doente da realidade e tirá-lo do mundo- o que, por certo, é tendência de qualquer distúrbio psiconeurotico’. 


Em alguns casos os pacientes tem rituais (que podem ser confundidos com superstições, vide o caso conhecido do cantor Roberto Carlos que ao identificar buscou ajuda profissional). 


No mesmo historial citado, vemos que a obsessão é uma tentativa de compensar a dúvida e corrigir o intolerável estado de inibição de que a dúvida é testemunho. 


O obsessivo pensa, pensa e pensa...e como duvida, ele se impede de agir. 


Por que será? 


O que esse sintoma revela? 


Por que o sujeito se defende do que deseja? 

Essas são perguntas que somente em um dispositivo analítico o paciente será capaz de respondê-las, uma vez que o sintoma é particular a cada sujeito. 



Para saber mais: 


Freud, Sigmund 


Obsessões e Fobias: seu mecanismo psíquico e sua etiologia (1895) 

Atos obsessivos e práticas religiosas (1907) 

Observações sobre um caso de neurose obsessiva: O homem dos ratos (1909-1910) 

A Disposição à Neurose Obsessiva (1913) 



Lacan, JACQUES 


O Obsessivo e seu desejo, semanário V

Nenhum comentário:

Postar um comentário