Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2021
Imagem
“O que se revela no sintoma somático é o momento físico do inconsciente.” Paul-Laurent Assoun - Cuerpo y sintoma Estamos falando não mais à respeito do inconsciente estruturado como uma linguagem, mas do inconsciente real. Falando do efeito de verdade desse real. O real do sintoma e constatando o impacto físico do real inconsciente. Do inconsciente que não "aparece" somente nos ditos, sonhos, lapsos, chistes, mas no corpo. “...o momento corporal do sintoma mostra que as "estratégias significantes" falharam e a inscreve como real, pois houve falha da simbolização e das formações do inconsciente.”  #escutaanalitica1
Imagem
 
Imagem
Um acontecimento, pensamento ou fantasia vivenciado pelo sujeito como traumático e que não consegue ser elaborado, por vezes possui uma carga excessiva de desprazer produzindo um afeto tão insuportável que fica impossível de ser acessado pela consciência. Não sendo possível encontrar palavras para simbolizar ou representar de forma saudável o ocorrido, essas pulsões vão se localizar no corpo através da dor ou da doença. Ana Carlênia Oliveira Bastos #escutaanalitica1  
Imagem
O esquema corporal é uma realidade, um corpo orgânico, semelhante em todos da espécie humana. O corpo orgânico é um medi/a/dor (lê-se mede a dor) que se organiza de acordo com as relações que o sujeito adquire com o contato com os outros, inicialmente seus pais, cuidadores e posteriormente com o mundo e suas relações sociais. Ana Carlênia Oliveira Bastos #escutaanalitica1  

A angústia

Imagem
"A angústia é, para a análise, um termo crucial, porque com efeito, a angústia é o que não engana." Lacan - Seminário XI , Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise "Na experiência é necessário canalizá-la e, se ouso dizer, dosá-la, para não ser por ela submerso." Lacan Isso significa que não se trata de abafá-la nem deixá-la transbordar. Ela é um afeto que afeta o corpo, assim como a fala também o afeta.  Portanto, é imprescindível  falar para produzir algo diferente nele. Andreneide Dantas #escutaanalitica1  
Imagem
  O trabalho sobre a angústia que Lacan empreendeu em seu Seminário X, a coloca em sintonia com o gozo. Disse que por trás da angústia encontramos a pulsão que quer, por que quer, se satisfazer. Se satisfazer como vontade de gozo. Ela é sinal do real. Primeiramente a tinha formulado como signo do desejo do Outro, depois como sinal do real. 'a angústia, portanto, é um tempo intermediário ante o gozo e o desejo, uma vez que é depois de superada a angústia, e é fundamentado no tempo da angústia, que o desejo se constitui. Aqui estamos falando dela como sinal, aquilo que inquieta, nos faz questionar, pensar, nos tira da 'zona de conforto' do imobilismo....a angústia produtiva. Essa não é a angústia desenfreada, que causa transtornos e atrapalha a vida do sujeito a ponto de desregular suas funções: provocando taquicardia, sudorese, sensação de 'pânico', como nos relata os analisandos. Essa última, aparece quando falta a falta. Quando o sujeito não conta com recursos psíq
Imagem
No livro 📖 'O desenlace de uma análise' de Gérard Pommier, encontramos essa frase que desconcerta e provoca questionamentos em muitas pessoas. Freud já havia descoberto essa relação desde os primeiros atendimentos a seus pacientes que os procuravam com dores, tremores, paralisias, cegueiras, etc. Quando descobriu, porque pôde escutar e ler, que os enunciados dos pacientes revelavam a associação entre uma dor psíquica e uma dor orgânica, que os adoeciam. Passado mais de 100 anos dessa descoberta, muitos não conseguem acreditar, que suas dores e doenças, tem relação com sofrimentos causados pelo fato do que acontecem em suas vidas. Como consequência do que dizem, sentem ou deixam de dizer. Andreneide Dantas #escutaanalitica1  
Imagem
"Um sentimento de culpa também acha expressão no conteúdo manifesto das fantasias masoquistas, pois o indivíduo supõe haver infringindo algo (não determinado) que deve ser expiado mediante procedimentos penosos e torturantes." Freud - O Problema econômico do Masoquismo Quando Freud escreveu 'O Problema econômico do masoquismo", disse que no masoquismo moral "o que importa é o sofrimento mesmo; se ele é infligido por uma pessoa amada ou outra qualquer não faz diferença; pode ser causado também por poderes ou circunstâncias impessoais..." e o que explica esse comportamento, é que a pulsão de destruição foi voltada para dentro, e se enfurece com a própria pessoa, 'o próprio si mesmo'. Por quê? Porque o sujeito se sente culpado por algo que fez ou desejou, e acredita que precisa reparar, expiar a culpa. O sofrimento é uma das forma, seja em ações ou fantasias. Fantasias nas quais ele é castigado, penalizado, maltratado ou humilhado. Andreneide Dantas #e
Imagem
"A análise possibilita que o sujeito reconheça e decifre sua cadeia de pensamentos. Descubra o que determina seus atos, suas escolhas, fracassos, impedimentos, inibições e sintomas." O processo de análise compreende um trabalho no qual o analisando faz um investimento de tempo e libido, para poder falar e discorrer sobre o que lhe acontece. Nesse trajeto descobre tanto a causa inconsciente, que determina seus atos, quanto o gozo que está na raiz de seu sofrimento, e o impulsiona a repetir situações que lhe trazem prejuízos. Aquilo que Freud chamou de demoníaco, tamanha a força que exerce sobre o sujeito. Para aqueles que não querem mais ser manipulados por seu inconsciente e impulsionados por seu gozo, a análise é um caminho. Andreneide Dantas
Imagem
“O ato psicanalítico tem por efeito uma emergência do sujeito da enunciação que se reconhece, assim, em seu próprio dizer.” Gérard Pommier - A Neurose Infantil da Psicanálise. A experiência de análise possibilita que o sujeito se reconheça em seu dizer, que escute e leia a língua estrangeira que ele profere sem saber o que diz, e que o atrapalha e o adoece. Andreneide Dantas