Quem sou eu?



Todas essas perguntas são próprias da fase de vida chamada adolescência, momento de passagem da infância para a idade adulta, momento de passagem que serve de “ponte” entre o conhecido da infância ao desconhecido que está por vir – vida adulta.


Essa passagem é marcada por transformações físicas e psíquicas. Transformações sentidas e vivenciadas no real do corpo, que amadurece e se transmuta em uma rapidez veloz, diferente das transformações que aconteciam no tempo da infância, onde era gradual e assimilada frente ao espelho. Essas transformações têm como consequência o direcionamento do contato ao outro como parceiro: momento de paqueras, “ficos” e namoros.


É característico também que o sentimento em relação aos pais também mude, pois, estes não terão mais a imagem de ideais.


O adolescente é aquele que escancara as angústias que pertencem a todo ser humano: o nascimento, o sexo e a morte. E isso se faz presente em uma fase de vida onde o sujeito tem uma crise de identificação, onde será preciso que ele busque novas identificações diferentes das que fizeram antes. Se antes, ele era falado por seus pais, passará a falar em nome próprio. Não por acaso precisa escrever seu nome repetidas vezes. Terá que buscar novos ideais, passarão a desejar novos conhecimentos, ideais diferentes do que seus pais almejaram.


E os pais como ficam nessa fase de vida? Como encaram que não tem para os seus filhos a imagem que tinham antes?


Artigo: Quem sou eu?

Para leitura completa acesse: http://escutaanalitica.com.br/c_artigos/quem-sou-eu/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog